Historial do Centro Social Paroquial da Santíssima Trindade

primeirapedra

O Centro Social Paroquial da SS. Trindade da Tabua nasce da iniciativa de um grupo de paroquianos (D. Gracinda Tito, D.ª Alda Nunes, Sr. João Pereira e a prof. Leontina Santos) que sonhou em desenvolver uma resposta social para os mais desprotegidos. Agendadas as reuniões com o Sr. Bispo, o D. Teodoro de Faria, e com a presidente da Direção da Segurança Social da Madeira, Drª Inês Guerreiro, fora apresentada a ideia, para análise da sua viabilidade, a construção de um Lar na Tabua para apoiar os idosos sem suporte familiar.

Partindo da oferta financeira da D. Gracinda Tito para aquisição das benfeitorias de parte de um terreno de colonia, pertença da Confraria do Santíssimo Sacramento da paróquia da Tabua, no sítio da Praia Tabua, com a finalidade desta proceder depois à doação do referido terreno ao futuro Centro Social Paroquial da SS. Trindade e aí construir uma estrutura residencial para acolher aqueles idosos que marcados pela solidão, numa terra de muita emigração ou por razões de doença se encontravam necessitados de intervenção social.

A ideia foi acarinhada e a Segurança Social da Madeira desafiou-nos para darmos uma resposta integrada para os idosos, crianças e jovens, como resposta social a toda a ilha.

Constituído o Centro Social Paroquial, registado o terreno e assinado o acordo de cooperação com a Segurança Social, procedeu-se à elaboração do projeto e de seguida à construção do Lar Intergeracional da Santíssima Trindade da Tabua, a única unidade da Região com acolhimento para idosos (os avós) e crianças/jovens (os netos).

No decorrer da construção do edifício do Lar, surge à venda o terreno ao lado. A Dona Gracinda, mais uma vez, com apoio financeiro, comprou o referido terreno em nome do Centro Social, apenas na condição de haver um espaço para a acolher na sua velhice.

A 26 de fevereiro de 2003 o sonho tornou-se realidade. É inaugurado o Lar Intergeracional da Tabua, uma estrutura lindíssima, cheia de luz e cor para acolher aqueles que dela necessitem.

É uma Instituição pioneira na Região Autónoma da Madeira por criar um lar para “avós” e “netos”. Com capacidade para 36 idosos e 12 crianças/jovens a coabitar diariamente, têm-se tornado um espaço de desenvolvimento integral e muito enriquecedor para todos os utentes.

Nesse mês dia, assinalamos mais um marco histórico: é feita a apresentação do projeto do futuro Centro de Acolhimento Temporário para bebés e crianças, para responder a uma necessidade da Região, a ser construído no terreno vizinho, doado pela Dona Gracinda. E quatro anos mais tarde foi possível obter financiamento da Segurança Social da Madeira para a sua construção. Este espaço foi inaugurado a 24 de outubro de 2008, com capacidade para acolher 6 bebés e 15 crianças em regime de estrutura residencial.

inaugurao do campo   13 junho 2005Mas durante este tempo foi possível dar resposta a duas grandes necessidades : a construção de um polidesportivo e os arranjos das paredes dos terrenos por detrás do Lar, que ameaçavam com derrocadas. Desta feita surgiu o nosso espaço de horta, com frutas e legumes. E para aproveitamento dos restos da cozinha foi construído um galinheiro para criação de galinhas poedeiras e frangos , tudo para consumo da casa.

         Mas a nossa história continua com a contribuição, mais uma vez, da D. Gracinda Tito. Desta feita, comprando um terreno em nome do Centro Social e doando 300 mil euros para a construção de uma residencial em dois andares, na condição do rés-do-chão ficar disponível para si, enquanto for viva.

O Lar da Tabua, como vulgarmente é conhecido, está equipado com todas as infra-estruturas, sendo um espaço de luz, cor e dinâmica própria, procurando contrastar com o cinzento de algumas vidas de quem têm necesidade de recorrer a estes serviços.

Go to top